Evangelho do Dia: 21/04

Tempo de leitura: 6 minutos

João 10,27-30
27. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem.
28. Eu lhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão.
29. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém as pode arrebatar da mão de meu Pai.
30. Eu e o Pai somos um.

Comentário:
Reciprocidade: “minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem.”.
A relação de Jesus com as ovelhas é uma relação de reciprocidade: as ovelhas escutam a voz do pastor. O pastor, por sua vez, conhece suas ovelhas, uma por uma, e as chama pelo nome. A comunhão se concretiza no seguimento.
Nós somos povo e rebanho do Senhor, Jesus é a porta para a vida. O texto do evangelho de hoje pode ser estruturado em duas partes: na primeira, temos um discurso enigmático; e, na segunda, a explicação detalhada do discurso enigmático.
O discurso contrasta o ladrão-bandido e o pastor. O ladrão pula o muro para evitar o guarda, as ovelhas não seguem o estranho porque não conhecem sua voz.
O pastor entra sempre pela porta. Ele dá nome às ovelhas, ele as chama pelo nome, elas o seguem porque conhecem sua voz.
Para a compreensão deste discurso, é preciso colocá-lo em relação ao capítulo nove do evangelho de João – a cura do cego de nascença e a sua expulsão da comunidade por reconhecer, em Jesus o Cristo, o Messias.
Jesus é o pastor e as ovelhas são os discípulos e o povo que o ouve e o segue. Os homens reconhecem Jesus como o enviado de Deus porque ele salva e conduz a vida. Jesus veio para dar a vida aos homens. Ele dá a vida eterna que já se concretiza na fé. Jesus é o único salvador, e o único mediador para a vida.
O projeto de libertação continua hoje no mundo através de pessoas engajadas que levam a todas as partes do mundo e mensagem de fé, e buscam novos membros para o rebanho do único Pastor.
Para refletir:
Eu lhes dou a vida eterna. Quantos não têm esta certeza, porque não chegou até eles esta boa notícia. Se não posso ir ao encontro das ovelhas, posso rezar por elas. Penso sempre naqueles que precisam de minhas orações?

* Comentário retirado do Diário Bíblico 2013 da Editora Ave Maria.

Comentários no Facebook