Evangelho do Dia: 17/02

Tempo de leitura: 7 minutos

Lucas 4,1-13
1. Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto,
2. onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias. Durante este tempo ele nada comeu e, terminados estes dias, teve fome.
3. Disse-lhe então o demônio: Se és o Filho de Deus, ordena a esta pedra que se torne pão.
4. Jesus respondeu: Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra de Deus (Dt 8,3).
5. O demônio levou-o em seguida a um alto monte e mostrou-lhe num só momento todos os reinos da terra,
6. e disse-lhe: Dar-te-ei todo este poder e a glória desses reinos, porque me foram dados, e dou-os a quem quero.
7. Portanto, se te prostrares diante de mim, tudo será teu.
8. Jesus disse-lhe: Está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e a ele só servirás (Dt 6,13).
9. O demônio levou-o ainda a Jerusalém, ao ponto mais alto do templo, e disse-lhe: Se és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo;
10. porque está escrito: Ordenou aos seus anjos a teu respeito que te guardassem.
11. E que te sustivessem em suas mãos, para não ferires o teu pé nalguma pedra (Sl 90,11s.).
12. Jesus disse: Foi dito: Não tentarás o Senhor teu Deus (Dt 6,16).
13. Depois de tê-lo assim tentado de todos os modos, o demônio apartou-se dele até outra ocasião.

Comentário:
Estamos vivenciando o tempo litúrgico da Quaresma. São quarenta dias de intensa preparação de nosso coração e de nossa vida para celebrarmos a grande festa da cristandade, a maior de todas as boas novas: a Santa Páscoa, a Ressurreição de Jesus.
A liturgia neste tempo da Quaresma nos convida ao jejum, não somente para cumprir a lei, mas como uma forma de nos tornamos solidários com aquelas pessoas que passam fome, não tem o alimento necessário para o sustento de seu corpo. É tempo de mortificação, de renúncia, de sacrifício. É tempo de conversão, mudança de mentalidade, de oração.
O evangelho de hoje é o da tentação de Jesus. Suas tentações se resumiam na insidiosa tendência de ser infiel à missão que o Pai lhe confiara.
A cena da tentação de Jesus foi construída para refletir a luta interior do homem pela liberdade. Jesus, o novo Adão, é tentado, como todo homem, a acomodar-se aos princípios deste mundo, a seus valores materiais, à segurança que nos proporciona o dinheiro, à satisfação que nos dá o poder, descuidando dos valores do Reino, que são a verdade, a justiça, o amor e a paz.
A tentação é uma espécie de prova essencialmente unida à nossa condição humana. Quando o homem resiste à tentação, ela se transforma em oportunidade para a personalização e o merecimento.
A Igreja no Brasil celebra, neste tempo, a Campanha da Fraternidade, momento propício para voltarmos o olhar e pensamento para determinados temas que estamos vivendo.

Para refletir:
O Tempo da Quaresma é um convite à reflexão e conversão. Quais serão meus propósitos e gestos concretos, para este tempo de vivência do amor e do perdão?

Comentários no Facebook