Evangelho do dia 13/12

Tempo de leitura: 6 minutos

Lucas 3,10-18
Perguntava-lhe a multidão: “Que devemos fazer?”. Ele respondia: “Quem tem duas túnicas dê uma ao que não tem; e quem tem o que comer, faça o mesmo”. Também publicanos vieram para ser batizados, e perguntaram-lhe: “Mestre, do que devemos fazer?”. Ele lhes respondeu: “Não exijais mais do que vos foi ordenado”. Do mesmo modo, os soldados lhe perguntavam: “E nós, que devemos fazer?”. Respondeu-lhes: “Não pratiqueis violência nem defraudeis a ninguém, e contentai-vos com o vosso soldo”. Ora, como o povo estivesse na expectativa, e como todos perguntassem em seus corações se talvez João fosse o Cristo, ele tomou a palavra, dizendo a todos: “Eu vos batizo na água, mas eis que vem outro mais poderoso do que eu, a quem não sou digno de lhe desatar a correria das sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. Ele tem a pá na mão e limpará a sua eira, e recolherá o trigo ao seu celeiro, mas queimará as palhas num fogo inextinguível”. É assim que ele anunciava ao povo a Boa-Nova, e dirigia-lhe ainda muitas exortações.

Comentário
Conversão, chave para nosso pacto com Deus
Uma vez mais estamos diante das palavras de João Batista, o anunciador de Cristo, que veio para preparar seu caminho. Sua mensagem versa sobre a conversão: uma mudança de coração e de mente que nos tornará capazes de receber a graça de Jesus no Natal.
E hoje João Batista transmite a ideia de que a conversão engloba decisões e ações concretas, como podemos ver em suas respostas práticas às perguntas do povo.
Converter-nos é repartir nossas posses com os pobres e os necessitados. “Que o homem que tem dois casacos…que tem comida em abundância…dê ao que não tem”. Conversão é integridade em nosso procedimento com os outros: “Não exigir nada além do que foi ajustado”. Conversão é misericórdia no uso que fazemos de qualquer tipo de poder que possuímos; conversão é simplicidade em nosso caminho: “Não maltrate ninguém. Não denuncie alguém falsamente. Fique contente com o que ganha”.

Para refletir
1. Vejo a conversão como um fator necessário ao meu preparo para a vinda do Senhor?
2. Minha ideia de conversão está conforme com a de João Batista?

* Retirado do Diário Bíblico de 2015 da Revista Ave-Maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − onze =