Dia Nacional do Perdão

Tempo de leitura: 2 minutos

Este ano foi sancionada a lei que institui no Brasil, o Dia Nacional do Perdão, que será lembrado todo dia 30 de agosto. A deputada, autora do projeto de lei, escolheu a data em alusão ao dia da morte de seu filho, sequestrado e assassinato aos 8 anos. O objetivo da data é propor uma reflexão sobre o tema.

Em uma Audiência Geral na Praça São Pedro (Roma), o Papa Francisco disse que “o perdão é o pilar que sustenta a vida da comunidade cristã, porque é nele que se manifesta a gratuidade do amor com que Deus nos amou primeiro”. O Papa ainda completa “Perdoar é o primeiro pilar; doar é o segundo ‘Dai e ser-vos-á dado […] também vós sereis julgados segundo a medida com a qual medirdes’”.

Mas perdoar aqueles que nos ofenderam ou magoaram é um dos maiores desafios da vida cristã. Pedir perdão também não é tarefa fácil.

Um autor chamado Timothy Lane escreveu em um de seus artigos que “Não passa uma semana sequer sem que você seja ofendido ou ofenda outra pessoa. Isso faz parte de sermos pecadores caídos e até mesmo pecadores que foram perdoados por Deus”“ […] O pecado é uma realidade diária, mas a maravilhosa graça de Deus também é. Até que morramos ou que Cristo volte, haverá muitas oportunidades para praticar o perdão em nossos relacionamentos”.

Perdoar não é esquecer aquilo que o outro fez contra nós. Jeremias 31.34 diz: “E não ensinarão mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior, diz o Senhor; pois lhes perdoarei a sua iniquidade, e não me lembrarei mais dos seus pecados”. Deus na sua infinita bondade não irá simplesmente apagar da memória nossos pecados. O “não lembrarei” do texto refere-se mais a postura de Deus em, apesar de nossas ofensas, não nos tratar de acordo com os pecados cometidos e sim ignorá-los.

Assim nós também deveríamos fazer com quem nos ofende, não ficar recordando as mágoas, revivendo-as a cada vez que vamos tratar com aquela pessoa. Como Deus continua nos tratando com infinito amor, mesmo após termos errado para com Ele, nós também devemos amar o nosso irmão arrependido.

Jesus disse que devemos perdoar nosso irmão por até 70 vezes 7 para mostrar que não devemos guardar conta de quantas vezes perdoamos.  Afinal, quantas vezes Deus nos perdoou? E quantas vezes fomos perdoados por outros irmãos? A medida do perdão é a mesma do amor então não devemos ficar contabilizando o perdão ofertado, assim como não contabilizamos o amor recebido.

Por fim, perdoar é, além de conceder o perdão ao próximo, permitir a si mesmo de continuar vivendo com a própria condição humana, falha e pecadora.

Que possamos refletir sobre o perdão no Dia Nacional do Perdão e em todos os outros dias em que o exercício do perdão nos for solicitado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 10 =