Nossa Senhora Aparecida: 300 Anos de Milagres

Tempo de leitura: 7 minutos

A Imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada no rio Paraíba do Sul no ano de 1717. Portanto, em 2017 o encontro da Imagem completa 300 anos.As comemorações dos ‘300 anos de Bênçãos’ de Nossa Senhora Aparecida tiveram início no dia 12 de outubro de 2016.

Nestes 300 anos muitos milagres aconteceram por intercessão da Padroeira do Brasil, o primeiro, e mais conhecido, milagre foi a pesca abundante que se seguiu após o encontro da imagem. A época não era favorável à pescaria, mas, depois de apanhada a imagem de Nossa Senhora da Conceição, os pescadores lançaram a rede novamente e pescaram peixes em tão grande quantidade que ficaram até receosos de um naufrágio.

Mas outros milagres muito significativos também aconteceram, o que se segue é uma lista de alguns dos tantos ocorridos na vida dos fiéis que confiaram suas preces à Virgem Aparecida.

Milagre das Velas

Segundo relata a história de Fé, em um dos momentos de devoção dos primeiros devotos de Nossa Senhora Aparecida, as velas que iluminavam o local repentinamente se apagaram. As pessoas ficaram atônitas com o ocorrido e começaram a entrar em pânico. Mas passado pouco tempo, as velas milagrosamente acenderam-se novamente ao bater do vento.

Milagre: A libertação do escravo Zacarias

Como se sabe, o encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida aconteceu em um momento triste da história do Brasil: a escravidão. O povo negro sofria nas mãos dos donos das terras. A “Mãe negra” veio para dar uma lição de vida e amor ao próximo.

Foi o que aconteceu com o escravo Zacarias, que havia fugido de uma fazenda do Paraná e era caçado por todos os cantos, até ser encontrado no Vale do Paraíba.

Preso, Zacarias acorrentado nos pulsos e nos pés. O caminho de volta passava próximo à capela que havia sido construída para a imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Então, o escravo pediu permissão ao seu caçador para rezar diante da imagem.

Incrédulo, o caçador deixou. A fé de Zacarias foi tamanha que milagrosamente as correntes se romperam, deixando-o livre. Diante do milagre, o caçador acabou por libertá-lo.

Milagre: O cavaleiro ateu

Desde que a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada, e ao longo da história, muitos espaços foram construídos para que a devoção à “Mãe negra” pudesse acontecer. Esses locais sempre recebiam grande número de pessoas que colocavam nas mãos da Mãe de Deus a vida. Mas também era destino de muitos incrédulos.

Esse milagre aconteceu com um deles. Passando por Aparecida e vendo a fé dos romeiros, zombou e tentou entrar na Igreja a cavalo para destruir o local e alcançar a imagem. Porém, o que esse cavaleiro não esperava era que as patas do animal ficassem presas em uma pedra. A partir daí o homem passou a acreditar.

A pedra em que o cavalo ficou preso pode ser vista na Sala dos Milagres no Santuário Nacional de Aparecida.

Milagre: A cura da menina cega

Visitar o Santuário Nacional de Aparecida é uma viagem emocionante, principalmente quando se entra na Sala dos Milagres, onde milhões de histórias de graças alcançadas se concentram.

O simples fato de olhar a Basílica, a primeira grande igreja erguida em Aparecida em devoção a Nossa Senhora Aparecida, também é motivo de milagre e foi o que aconteceu a uma menina cega que passava em frente à Basílica com sua mãe. Ao se aproximar, a garota disse “Mãe, como aquela Igreja é bonita”, e o milagre havia acontecido.

Milagre: Menino no rio

Um rio que pode trazer a salvação por meio do encontro de uma imagem, também pode trazer o risco da morte. Foi o que aconteceu na história de mais um milagre de Nossa Senhora Aparecida.

Um dia, pai e filho foram pescar. A correnteza estava muito forte, o que faz com que o filho, que não sabia nadar, caísse no rio e fosse levado cada vez mais rápido.

O desespero do pai levou-o a rezar a Nossa Senhora Aparecida. E mais uma vez a “Mãe negra” ouviu: o corpo do garoto, de repente, parou de ser levado, mesmo com a correnteza ainda forte, até que o pai pudesse chegar perto e salvar o filho.

O caçador

Voltando de um dia negativo de caça, um caçador viu-se em uma situação perigosa: deparou-se com uma enorme onça. Sem munição, porque havia usado tudo em suas tentativas frustrantes ao longo do dia, o homem ajoelhou-se, rezou e foi atendido: a onça, que antes parecia ter um alvo certeiro, desviou-se e foi embora.

O Paralítico

O menino Sebastião de Paula, paralítico das pernas estendia as mãos aos transeuntes, implorando um auxílio para sua manutenção. O pobre paralítico não podia fazer nenhum movimento com as pernas, e só se locomovia quando apoiado às costas de seu irmão. O povo já o conhecia muito e o estimava. Todos se compadeciam de sua triste situação.

Como morava em uma cidade muito pequena o menino não podia colher esmolas suficiente para viver. Foi então que um amigo o aconselhou a ir a Queluz.

O infeliz aceitou o conselho e arrastou sua desgraça até esse local, onde começou a pedir esmolas.Numa das ruas da cidade Sebastião prosseguia seu triste trabalho, suplicando sempre por esmola.

Um bondoso sacerdote deu-lhe uma esmola e parou para conversar. Perguntou ao menino sobre sua triste história e perguntou-lhe se ele não acreditava em Nossa Senhora Aparecida, ao que o menino respondeu que sempre havia sido cristão e que tinha fé em Nossa Senhora, no entanto também lhe falou que osmédicos disseram que sua moléstia não tinha cura.

O Sacerdote lhe disse que o que os homens não fazem talvez Deus o faça. E ainda acrescentou que não custava nada tentar. Pois muita gente conseguia verdadeiros milagres com promessas e sugeriu ao menino que fizesse a sua promessa.

Sebastião contou o diálogo com o sacerdote ao seu irmão, que lhe disse que bastava ter fé. Sebastião então fez a promessa e intimamente pediu com muito fervor à Nossa Senhora Aparecida, a graça de poder caminhar.

Os dias foram passando, e já no terceiro dia, Sebastião sentiu que podia fazer movimentos com os pés. Nada disse ao irmão, com medo que fosse um falso alarme.

No dia seguinte também experimentou, e conseguiu caminhar alguns passos. Quase não cabia em si de contentamento. Experimentou mais algumas vezes e notou deslumbrado que podia andar. Quando seu irmão o viu caminhando, mal pode crer no que seus olhos viam. Sebastião andava. O pobre paralítico estava radicalmente curado.

O Bebê Reginaldo Manzotti

O Padre Reginaldo Manzotti revelou recentemente ser fruto e testemunha viva do poder intercessor de Nossa Senhora Aparecida. “Sou o milagre vivo de uma oração de minha mãe, que, ao me ver nascer sufocado pelo cordão umbilical, após ter sido batizado às pressas, fui consagrado à Nossa Senhora Aparecida. Em minha alma, trago eterna gratidão: nos lábios, os louvores; e no meu segundo nome, a marca daquela que intercedeu a Jesus e salvou minha vida: meu nome de batismo é Reginaldo Aparecido Manzotti”.

Após todas estas histórias podemos estar nos perguntando: “será que os milagres ainda acontecem”? É uma pergunta interessante, principalmente nos tempos difíceis que estamos vivendo atualmente no Brasil e no mundo.

A resposta a esta pergunta encontra-se na sala dos milagres do Santuário Nacional de Aparecida. São centenas de milhares de milagres ocorridos e graças alcançadas por pessoas anônimas aos olhos dos homens, mas que aos olhos da Virgem Aparecida são lembrados constantemente.

Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós.

 imagem-de-nossa-senhora-aparecida-em-gesso-branco imagem-de-nossa-senhora-aparecida-em-resina medalha-de-nossa-senhora-aparecida terco-de-nossa-senhora-aparecid

Comentários no Facebook